7.1.16

Morre André Courrèges, o futurista da moda


Morreu nesta quinta-feira (7/11), aos 92 anos, o estilista francês André Courrèges. Convivendo há 30 anos com o mal de Parkinson, Courrèges já não trabalhava em moda desde a década de 1990, dedicando-se em parte à pintura e à escultura.

Conhecido como "o futurista da  moda", Courrèges, que tinha a Engenharia Civil como formação, trabalhou por dez anos com Cristóbal Balenciaga e como outros discípulos do costureiro basco (Hubert de Givenchy, Oscar de la Renta e Emanuel Ungaro), aprimorou as suas técnicas de corte e o olhar. Ao deixar a maison Balenciaga em 1961, fundou a sua própria casa de alta costura e no ano de 1964, lançou sua icônica coleção Space Age: óculos, formas geométricas, plástico, botas curtas de salto baixo (as famosas botas go-go), muito branco e pedaços do tronco e das costas à mostra – tudo isto cinco anos antes da chegada do homem à Lua. Em 1965, causou assombro no mundo da moda com sua coleção de terninhos supermodernos e minivestidos mais de dez centímetros acima do joelho, usados com botas brancas sem salto e de biqueiras truncadas. Esta coleção revolucionou a alta costura ao imprimir modernidade e jovialidade na forma de se vestir da época. Ele instintivamente encurtou as saias, assim como Pierre Cardin e Mary Quant, transformando a minissaia em peça fundamental da emancipação feminina.

Courrèges foi um dos motores da revolução de estilo da década de 1960 (e também nos anos 1970), ajudando (com Paco Rabanne, Mary Quant e Pierre Cardin) a redefinir códigos do vestuário e a colorir a imagem de ídolos como Françoise Hardy ou a emprestar a Audrey Hepburn uma das suas imagens marcantes, como no figurino do filme "Como Roubar Um Milhão" (1966). Em 1972, foi convidado para criar os uniformes oficiais dos Jogos Olímpicos de Munique. No mesmo ano lançou seu primeiro perfume "Empreinte" em um frasco de compostos de cobre/ouro como uma esfera e uma tampa de garrafa.

A aposentadoria do estilista chegou nos anos 90. Em 1995 contratou Jean-Charles de Castelbajac para criar duas coleções sob sua liderança visionária. Em 2011, vendeu sua grife para dois investidores, Frédéric Torloting e Jacques Bungert para na temporada de primavera-verçai 2016 internacional, acontecer o primeiro desfile sob a direção criativa de Sebastien Meyer e Arnaud Vaillant.